Como a Inteligência Artificial pode auxiliar no dia-a-dia

Quem está inserido no vasto mundo da tecnologia, conhece bem os poderes que a inteligência artificial oferece. Já mostramos aqui o exemplo da Pinacoteca de São Paulo, que possibilitou uma nova interação dos visitantes com as obras expostas, por meio da IA.

Mas, você sabe o que mais essa tecnologia pode fazer? Conversamos com nosso Diretor, Adalberto Giaretta, e ele apontou diversos exemplos! Confira:

 

  • Em hospitais, por exemplo já é possível que a inteligência artificial auxilie na leitura de exames de imagem ou até diagnósticos de câncer.
  • Em call centers, os chatbots já atendem clientes em demandas e dúvidas frequentes. Basta ensinar a máquina (machine learning) e é possível que ela entenda o problema do cliente, o contexto, os sentimentos para, assim, atender da forma mais adequada.
  • Na construção civil, a inteligência artificial também pode ser de grande valia, especialmente quando se trata de segurança. Por exemplo, o sistema pode identificar, por meio de imagens em tempo real, funcionários que estão sem equipamentos de segurança em uma obra.
  • Em celulares, tablets e até mesmo computadores, o reconhecimento de íris e facial também são formas iniciais de inteligência artificial.
  • Na agroindústria, a evolução também já chegou! Hoje, drones já possuem o software de IA e sobrevoam lavouras para analisar padrão de folhas, frutos etc.
  • Para linhas de produção, a qualidade de produtos também pode ser analisada com inteligência artificial. Basta ensinar o padrão correto ao software e ele analisa a conformidade.
  • Em lojas virtuais, a IA pode ser utilizada em um nível muito avançado. Essa tecnologia consegue analisar o que as pessoas falam, o que seguem nas redes sociais, o que curtem, compartilham e, a partir disso, conseguem ter insights da sua personalidade (personality insights). Dessa forma, as lojas virtuais oferecem a você produtos compatíveis com o que você demonstra gostar.

 

É claro que esses são apenas alguns exemplos de como a IA pode auxiliar. Basicamente, dados hoje significam poder. Quem consegue aproveitá-los e trabalhar com eles de maneira efetiva, está (ou pode ficar!) muito à frente no mercado.

How to Create an Attactive HTML Email Signature For Mail on Mac OS X El Capitan 10.11

mac-mail-elcapitan

Apple released Mac OS X El Capitan (Version 10.11) on Sep 30th, 2015. The latest version of the Mac operating system has some great new features like Split View, a better Misson Control and Note app and best yet, an improved Mail app. Getting a HTML email signature installed in Mail on El Capitan have changed a little from Yosemite. For instructions on creating and installing an HTMl email signature on OS X Yosemite or earlier Mac operating systems, click on link: http://mydesignpad.com/htmlsignature-install-instructions/. Continue reading for instructions on installing an HTML email signature in Mail on OS X El Capitan

Before we start, you need the following to set up a HTML email signature in Mail 9.X:

    • A Mac computer with Mail 9.X running on Mac OS X 10.11.X El Capitan.
    • A text editing software to read and edit the HTML codes. I recommend using TextEdit since it is preloaded on Mac computer.
    • A HTML file coded with your desired email signature design. Use MYDESIGNPAD’sHTML email signature design service if you want us to create a great looking signature design for you.
    • A web server for hosting images being used in your design.

(We offer free images hosting if you use our HTML email signature design service)

  • Know how to upload the images to your web server and get image links.

STEP 1: Create Placeholder Signature

  • Open Mail.app
  • On the main menu, go to Mail>Preferences…>Signatures

Yosemite Mac Mail Preferences

  • Click the + icon located on the bottom of the 2nd column to add new placeholder signature and give it a name that you like. I am naming my signature: MDP-iMac

Yosemite Macmail Preferences Signature Setup1

STEP 2: Assign Signature to Desired Email Account

  • Drag the placeholder signature into the desired email account on the 1st column

yosemite-macmail-preferences-sig-setup2

  • With the desired email account highlighted on the 1st column, select the placeholder signature from the Choose Signature drop-down menu.

yosemite-macmail-preferences-sig-setup3

STEP 3: Check Settings for Composing

  • Go to Mail>Preferences…>Composing
  • Make sure Rich Text is selected for “Message Format”

yosemite-macmail-preferences-composing

STEP 4: Check Settings for Viewing

  • go to Mail>Preferences…>Viewing
  • Make sure Load remote content in messages is checked

yosemite-macmail-preferences-viewing

STEP 5: Quit Mail.app

Make sure you do this in order for the HTML email signature to work properly.

  • You may press Command+Q to quit or click on Mail>Quit Mail

STEP 6: Copy The HTML Email Signature Code With TextEdit.app

  • Right-click on your finalized HTML email signature file or hold down the control key to reveal pop-up menu. A HTML file will be emailed to you if you use MYDESIGNPAD’s Email Signature Service
  • Click on “Open With” and select TextEdit.app
  • Once the file is open, you will see the HTML code. Select all (Command+A) and Copy (Command+C)
  • If you see your HTML email signature design instead of the HTML code, follow STEP 6B to setup TextEdit.app to display HTML code and come back to STEP 6
  • After you copy all the HTML code, you may close the file by clicking on the red dot on the upper-right hand corner of the window (Command+W)

yosemite-macmail-textedit1

STEP 6B: Set TextEdit.app to Display HTML Files as HTML Code

Skip this step if you were able to see the HTML code in STEP 6.

  • Open TextEdit.app: ~/Applications>TextEdit.app

TextEdit app

  • On the main menu, go to TextEdit>Preferences…>Open and Save
  • Check Display HTML files as HTML code instead of formatted text

yosemite-macmail-textedit-setup

STEP 7: Locate Placeholder Signature

  • Click on your desktop to reveal Finder.
  • On the main menu, go to Finder>Go>Library (press and hold the option key to reveal Library on the drop-down menu)

yosemite-macmail-openlibrary

  • If not using iCloud, go to ~/Library/Mail/V3/MailData/Signatures/
  • If using iCloud Drive, go to~/Library/Mobile/Documents/com~apple~mail/Data/V3/MailData/Signatures/
  • Turn on List view and click on Date Modified to display the latest files on top
  • The placeholder signature you just created is the file ending with .mailsignaturewith the most recent modified date

yosemite-macmail-findplaceholdersignature

STEP 8: Open and Update Placeholder Signature

  • Open placeholder signature file with TextEdit.app (hold down the option key and click on file to reveal pop-up menu. Click on “Open With” and select TextEdit)

yosemite-macmail-openplaceholdersignature
yosemite-macmail-openplaceholdersignature2

  • Select and delete everything under the Mime Version… line
  • Press Command+P to paste your HTML email signature code that you have copied earlier into the file. (Your HTML file is emailed to you if you are using ourEmail Signature Service)

yosemite-macmail-replacesignatureinfo

STEP 9: Lock Updated Signature File

Very important step to follow in order for signature to work.
Skip this step if you are using iCloud.

  • Click on the downward triangle located on the top right of the opened file

yosemite-macmail-replacesignatureinfo2

  • On the pop-up menu, check Locked
  • Quit TextEdit

Lock file

STEP 10: Restart Mail

  • Open Mail back up
  • Click on the Compose new message button to open a new message window
  • Your new HTML email signature should appear automatically
  • If your HTML email signature doesn’t show up, make sure the correct email account is selected on the From drop-down menu below the Subject line
  • Make sure the correct HTML email signature is selected in the Signature drop-down menu as well if you have more than one signature installed

yosemite-macmail-checkemailsignature

Installation Completed

Congratulations! That is it! Hope you got it working as it should. Go on with Mail as usual. Happy email writing. Contact me or leave a note if you have any questions or comments. If you want a creative and visually appealing HTML email signature and would like to have MYDESIGNPAD create one for you, please click on link for more info: http://mydesignpad.com/htmlsignature/

Publicado em: Blog

Segurança na nuvem: Três frentes nas quais as empresas devem focar

Segundo o Gartner, é preciso ter uma estratégia bem definida de segurança para multilocação, virtualização e software como serviço

A computação em nuvem cria muitos desafios para todas as empresas. Geralmente, nenhuma política corporativa de Cloud Cpmputing ou projeto de segurança é abrangente o suficiente. Do ponto de vista da Segurança e da Gestão de Riscos, a ambiguidade é especialmente difícil de lidar.

Um dos principais dilemas com relação à introdução de políticas de computação em nuvem é que ninguém consegue realmente definir o que ela é. “Enquanto os CISOs enxergam a nuvem como um estilo de computação, outras partes da empresa enxergam apenas como coisas acessadas pela Internet”, afirma Jay Heiser, vice-presidente de Pesquisa do Gartner.

Independentemente de como os grupos definem segurança em relação à computação em nuvem, os analistas do Gartner indicam que é essencial ter uma estratégia bem definida e políticas de uso, em três frentes: multilocação, virtualização e software como serviço.

Com os dados na nuvem pública, portanto fora do controle físico da companhia, a segurança acaba se tornando um problema. De fato, 38% das organizações que não planejam utilizar a nuvem pública apontaram a segurança e a privacidade como os principais motivos de risco.  No entanto, as empresas podem estar usando a segurança e a privacidade como “desculpa”, tanto pelo medo de abdicar do controle sobre os dados, quanto pela grande mudança no status quo do modo como estão acostumadas a trabalhar.

Quando a opção pela nuvem pública se dá no modelo de multilocação, essa escolha implica na necessidade de forçar a aplicação de políticas, segmentação, isolamento, governança, níveis de serviço e modelos de cobrança retroativa/faturamento aplicados a diferentes grupos de consumidores.

“Mas, na prática, não há correlação entre falha de segurança e o grau de multilocação. Às vezes, tornar-se híbrida pode ser a melhor forma para que algumas empresas ganhem confiança no modelo de Nuvem Pública”, explica Heiser.

 Já a virtualização requer gestão de vulnerabilidade e processos de comparação distintos para o ambiente de nuvem. As empresas podem usar ferramentas diferentes para gerenciar máquinas virtuais, uma vez que sua natureza complexa, dinâmica e distribuída não permite a indicação física de segurança como as “luzes piscantes” dos modelos tradicionais.

cloud_segurança_625

E SaaS (Software como Serviço), embora venha oferecendo um nível cada vez maior de segurança, com inúmeras funcionalidades de controle, têm suas aplicações, no geral, sob o comando dos usuários finais, oferecendo transparência mínima, sem possibilidades de personalização para as demandas das empresas. Para aumentar a complexidade, muitas empresas chegam a ter mil aplicativos SaaS em uso.

Segundo o Gartner, profissionais de segurança (CISOs) precisam definir suas prioridades e definir o tempo e os melhores recursos para lidar com o contexto de risco no uso de SaaS. Dessa forma, é necessário dividir os aplicativos de SaaS (Software como Serviço) em três níveis:

Nível 1: Realisticamente, cerca de 80% do mercado está centrado em 100 serviços de Cloud. Os principais fornecedores têm opções comprovadas, mas as organizações precisam se debruçar sobre o tema e verificar se realmente elas estão fora de risco para usar as soluções de forma segura.

Nível 2: Estas empresas, tipicamente grandes marcas que estão experimentando Cloud Services, não tinham oferecido antes como ofertas principais por mais de cinco anos. Geralmente com uma estratégia vertical de oferta de aplicativos, eles bloquearam avaialçies de terceiros. É neles que os CISOs devem focar suas avaliações e seus recursos.

Nível 3: Os milhares de aplicativos de computação em Nuvem classificados como nível 3 são praticamente irrelevantes, segundo Heiser. Não se pode assumir que um pequeno provedor de serviço em Nuvem (CSP) seja seguro ou financeiramente estável. Apesar de ser um risco aceitável, estes aplicativos devem ser utilizados com cuidado.

Fonte:(http://cio.com.br/noticias/2016/07/06/seguranca-na-nuvem-tres-frentes-nas-quais-as-empresas-devem-focar/)